Neste blog só quero expressar o que me impressiona

terça-feira, 30 de março de 2010

segunda-feira, 29 de março de 2010

Intertextos


Aqui estou ajoelhado
rezando por um amor que conhecemos.
Ele aparece pela porta
Ofereço chá.
Docemente responde:
Nós dois sabemos o quão árduo é ter
um amor e deixá-lo escorrer pelos dedos.
Poucos entendem quão árduo viver assim...
Apenas mais um dia
Então
Esqueça que sonho é como água: incolor e perigoso.
Navegue até aqui,
deixe-me abraçá-lo...

quarta-feira, 24 de março de 2010

Fique peixe!

Ando repetindo essa frase como mantra esta semana: Fique peixe! Fique peixe! Fiquepeixefiquepeixefiquepeixe...

Não tem ideia do que escrevo? Pois bem: fique tranquilo, tudo ficará bem no final!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Carlos Drummond

O mineiro já dizia se eu me chamasse Raimundo seria uma rima e não uma solução.
Pois é. Não sou a solução dos seus nem dos meus problemas. "Perceba que você tem na sua frente uma situação". Certo. "Encontre alternativas para conviver com isso". Uau! Bárbaro!
O mineiro já predestinava o mundo é grande e cabe na palma de minha mão. Mas a alternativa nem sempre era uma das linhas sugeridas.
O mineiro já me consolava o mundo é grande, mas cabe no meu coração. Não preciso dizer a você que a lua lá fora e o conhaque ao meu lado me deixaram comovida como o diabo...

quarta-feira, 10 de março de 2010


Pois é. Dias estressantes sugam energia. Sabe, leitor querido, às vezes, nem sei o que vale à pena. Fico na expectativa de. Nada acontece. Fico na esperança de. Nada verde aparece. Ah, então muda, né? Ok. Mudo. Mas o telefone continua mudo. O email, mudo. O mundo, mudo. Mudemos de parágrafo.
Por isso disso, então. Piados, cochichos e buxixos.
Que bafafá!

sábado, 6 de março de 2010

Carpe diem é a solução?



Hoje não estou com vontade de escrever. As palavras não saem, não há consenso entre nomes e verbos, muito menos seus satélites: adjetivos e advérbios. O casamento vocabular perfeito não acontece sempre. Afinal, ele é mais um exemplo de loteria. Devo, pois, desistir e à moda de The Cure, curtir meu tédio e a torneira pingando dá o ritmo drip drip drip drip...

Então, leitor, esqueça o dia de ontem e delicie-se com o prazer que o hoje pode proporcionar a você.